AAMF – Um pouco desastrada

Um pouco desastrada

E ela disse. Ela disse por que sempre dissera. Gente como ela, que disse, porque sempre dissera, está sempre a dizer, porque apenas diz, esquecendo-se de que antes de um dito deve também haver um pensado. Mas o que está dito está dito. E finita la commedia!

É claro que se ela é do tipo que disse, também pertence à espécie que fez. Quanto a isto não alimento qualquer dúvida. E o que está dito está feito, porque dito e feito, sob certo ponto de vista, são a mesma coisa.

Entretanto, se ela disse, e isso se deu num momento de suposta maturidade, pelo menos, a física, é porque já havia se comprometido com a coisa fazia muito tempo. Este comprometimento insinua antecedentes. Cada um deles contribuiu para sua reputação. A qualidade desta reputação pertence à sua consciência. Por hora, basta-me dizer, a quem estiver interessado em ler o que estou escrevendo, que ela disse, ela dissera, ela dirá, ela diz, ela deve estar dizendo, por onde quer que ande.

Sim. Ela disse.

E tudo estava bem no como o diabo gosta. Havia o que o senso comum insiste em determinar como do bom e do melhor. Embora as iguarias possam variar conforme os costumes, o paladar e a cultura de cada povo. E este do bom e do melhor, como sempre tem sido, desde que o supérfluo indispensável o promova, suportava as minúcias e o entusiasmo da pompa e da circunstância que sempre acompanha o empacotamento dos presentes. Ele circulava a caráter, adejando através de bandejas incessantes. Entretanto, mesmo que houvesse a tentativa do colibri, todos se empanturravam com frenético entusiasmo, absolutamente esquecidos de que se vai a um jantar para qualquer coisa, exceto para que se mate a própria fome. Sempre o discreto charme da burguesia.

De repente, e foi aí que ela disse. Talvez, porque tenha se sentido tão confortável, que seu à vontade momentâneo acabou sendo mais forte do que suas tentativas infrutíferas de bom senso. E a irrupção do entusiasmo a fez esquecer de que corda é sempre impronunciável em casa de enforcado. É claro que muitas doses de um muitas décadas em barris de carvalho também conspiraram para a composição da sua performance.

– Ah! Estou tão bem, mas tão bem, que só me falta um negro pra me abanar…

E ela disse, e o que está dito está feito, porque dito e feito, sob certo ponto de vista, são a mesma coisa – enfim, ela talvez sempre tenha se hospedado mal, mesmo que dispusesse de bom leito.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s