Burrice e/ou ignorância. Ou seria o contrário?

estupidez / stupidity por mareaneus

Fonte: http://www.flickr.com/search/?z=e&w=all&q=estupidez&m=text

Ignora quem desconhece algo; logo, somos ignorantes em relação àquilo que não aprendemos; logo, a ignorância só pode ser revertido graças ao processo de aprendizagem. Muitas vezes confundimos conceitos: se uma pessoa não estudou em uma escola, ou universidade, ou faculdade, ela é ignorante em relação àquilo que possivelmente teria aprendido se na escola, universidade ou faculdade tivesse estudado, e só.  Simples assim.

Uma pessoa pode ser educada, mas igualmente pode ser cínica e arrogante. Portanto, temos de revisar conceitos.

Já alguém pode ter algumas dificuldades cognitivas, o que não é, em princípio nenhum demérito. Significa, em suma, que o processo de aprendizagem em relação àquela pessoa não está alcançando seus objetivos ou que ela tenha algumas situações psico-sociais que dificultem/impeçam tal aprendizagem no ritmo estabelecido, de antemão, pela escola. De todo modo, em princípio, tudo passível de estudos, de flexibilidade, de adaptação.

Muitas vezes a ignorância é confundida com a arrogância; suas naturezas, contudo, são distintas. A arrogância é presunção, insolência, segundo The Free Dictionary (http://pt.thefreedictionary.com/arrog%C3%A2ncia); soberbo, altivo, orgulhoso, insolente, pretencioso, atrevido, de acordo com o dicionário online de português (http://www.dicio.com.br/arrogante/asa). A ignorância, contudo, é  a falta geral de conhecimento, de saber, de instrução, o estado de quem ignora (http://www.dicio.com.br/ignorancia/).

Não raro a prepotência arrogante é confundida com a ignorância; na verdade a abriga inúmeras vezes. O arrogante, normalmente, tem um comportamento agressivo, por lhe faltar, muitas vezes, o conhecimento, as condições reais de argumentação qualificada exigidas, por exemplo, em uma situação na qual seja necessário o convencimento de terceiros. Esconde, assim, o não-conhecimento. A ignorância, embora possa encastelar-se de maneira razoavelmente confortável na arrogância, com a mesma não se confunde; antes, a última é útil à primeira.

Nos meios denominados cultos, com acesso ao saber, se nota isso claramente; há doutos, mestres, especialistas e professores extremamente arrogantes. Aqui, a mesma funciona como um divisor social, algo que está dizendo: “eu sei mais do que você, portanto, sou superior à você”. Premissa discutível, conclusão sem sentido. A arrogância é uma doença social, endêmica, com o apetite de um divisor territorial. “Não me incomode”, diria o pretensioso insolente, “minha graduação e meu conhecimento são superiores, são maiores que os seus.”

Argumento de fantoche, pura desinteligência cognitiva e social a retroalimentar um sistema de castas e de tristes e duvidosas exclusividades que insuflam egos e fomentam distanciamentos de todo indesejáveis. Contrário da solidariedade, contrário da aprendizagem, a arrogância se subsume a ela própria. Assim, de tal maneira e por isso a arrogância não é privativa da ignorância, mas pode ser localizada entre aqueles que, por circunstâncias variadas, tiveram maior acesso e oportunidades dentro de uma sociedade pautada pela aparência e pela hipocrisia.

A burrice, contudo, não é a ignorância, mas, sim, um simulacro, uma estupidez com uma aparência pretensamente educada. Novamente o dicionário esclarece: burrice é estupidez, besteira, asneira, burrada, casmurrice, amuo, teimosia (http://www.dicio.com.br/burrice/).  A burrice é nutrida pela indolência, pela teimosia, pela preguiça, ao qual se adicionará, a resistência a sair da área de conforto cognitivo. A burrice é paralisante, de tal modo que não poucas vezes é confundida com a autoindulgência.

A pessoa se habitua à sua burrice porque aceitou passivamente o estigma do qual é partícipe. Assim, quem se entende burro, assim se entende por assumir sua passividade, embora, inegavelmente, isso atinja sua auto-estima. Esse incomodo, contudo, ainda não é suficiente para retirá-la da sua zona de conforto e pô-la em processo de aprendizagem, enfim, movê-la em direção a um objetivo pessoal ou social. Toda aprendizagem implica em um movimento, em um vir-a-conhecer, em um desafio que confronta a inação mental e física.

Há, portanto, de distinguir-se esses três eixos, confundidos no cotidiano. Ignorância, burrice e arrogância são três infelicitações que  mais não fazem do que interferir negativamente no processo de aprendizagem, no relacionamento social e no acesso aos meios de cultura.  Confrontamos com os mesmos todo o dia, no fazer pedagógico, nas relações que o currículo oculto revela mas que fazemos, por comodidade, questão de ignorar.

Desconfio fortemente que quando não nos envolvemos na discussão sincera e aberta com o aluno de tais conceitos, somos mais do que burros, ignorantes e arrogantes: talvez uma mistura dos três, mas especialmente somos não-solidários e omissos. Pequenos pecados do dia-a-dia? Não, absolutamente: a omissão, o descaso igualmente viciam, trazendo como primeira vítima a autenticidade, o falar com propriedade. Talvez por aí possamos compreender melhor o que significa a crise de autoridade que vivenciamos, a carência de líderes e a inconsistência de nossos argumentos. Pensar em tais fatos pode nos levar a concretizar decisões que gravitam em uma densidade e uma tensão da qual queremos, confortavelmente, fugir.

Admitamos: somos todos um pouco burros, um pouco ignorantes, um pouco arrogantes. Mas tem gente que é bem mais. Não nos conformemos, contudo; embora a pós-modernidade pregue em tudo o individualismo, resistamos e banquemos La Passionaria. O mundo, de modo geral, agradece.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s