VERIFICAR DUPLICIDADE Manual de frases para pessoas que zurram.

Ouso dizer que todos nós temos nossas pequenas ou grandes obscenidades e ignorâncias, alimentadas dentro de nossas inconstâncias. O que se segue não é um manual de boas etiquetas; contrariamente, é uma pequena fotografia dos nossos infindáveis defeitos, de nossas imoralidades consentidas ou não. Um manual de dispositivos que muitas vezes usamos cotidianamente, sem nos darmos conta, ou, o que é pior, que fazemos de modo racionalizado. Talvez a gente se reconheça, mais ou menos, mas, sem qualquer pretensão, talvez nos tenhamos dedicado a alguns desses itens de modo estratégico.

De qualquer modo, são atos vis.

Mais: me apetece imensamente dizer que esse é o tipo de listagem infinita, sempre buscando novos adendos. Se houver novos itens, por favor, colaborem.

Um abraço a todos que me ajudaram, durante todos esses anos a elaborar esse pequeno ser abjeto.

Sejam bem vindos.

hILTON

1

Brancos são superiores aos negros, homens às mulheres e todos são superiores aos pobres.

2

Haverá um esforço contínuo e persistente no sentido de submeter a inteligência à mediocridade e à ignorância.

3

Sempre que possível, seja desagradável.

4

Só faça ou deixe de fazer algo se houver alguma vantagem a ser auferida, especialmente financeira.

5

Não confie em ninguém. Todos são inimigos.

6

O mundo foi criado para você e não o contrário.

7

A aparência é tudo.

8

Entre o burocrático e o criativo, estimule o primeira e critique permanentemente o último.

9

Sexo é algo que você usa unicamente para o seu prazer.

10

Avalie os homens pelas suas posses, as mulheres pelos seus corpos e todos de acordo com os seus interesses.

11

Entre a administração e o humano, sempre prefira a primeira opção.

12

Não pense, apenas execute.

13

Todo homem bem sucedido é homossexual, pedófilo, ladrão, estelionatário ou recebeu herança da família.

14

Ser mau humorado é a regra, pois o bem humorado não leva nada a sério.

15

Sempre que puder, seja maledicente.

16

Mulheres inteligentes são chatas e, no mais das vezes, perigosas e ameaçadoras.

17

Quando você quiser um(a) ditador(a), conceda uma fatia de poder, mesmo que ínfima, a um prepotente.

18

Quem não trabalha é porque gosta de ser vagabundo.

19

Sempre que puder, concentre o máximo de riqueza possível, sem qualquer espécie de retorno social.

20

Destrate e ridicularize as preferências dos outros, especialmente as religiosas, étnicas e políticas.

21

Não perca uma oportunidade de se mostrar superior a quem quer que seja.

22

Constranja e critique os outros da maneira mais insidiosa ou ostensiva que puder.

23

Sempre generalize, de preferência utilizando o senso comum.

24

Ao receber uma mensagem em seu e-mail repasse-a imediatamente para o máximo número de pessoas possível, mesmo que saiba que tal mensagem é mentirosa, antiética, racista ou caluniosa.

25

Trate a negligência como uma flor a ser cultivada.

26

Classifique as pessoas e as catalogue, como se todas coubessem no seu escaninho.

27

Em hipótese alguma socialize o seu conhecimento.

28

Em assuntos complexos, seja reducionista.

29

Importe-se absolutamente com a opinião de todos sobre tudo, especialmente se entre esse tudo você estiver incluído(a).

30

Em uma reunião, faça o possível para que o foco da mesma seja perdido e, de preferência, polemize assuntos fora da pauta.

31

Fale, pense e vista-se de modo obsceno, especialmente tenha um comportamento obsceno.

32

Sempre que possível, berre; na pior das hipóteses, guinche ou grite.

33

Manipule as situações, não se importando se os outros perceberem ou não, de modo a que façam o que você quer.

34

Use o poder de modo despótico e imperial.

35

Seja subterrâneo e melífluo em seus argumentos, dando preferência a linhas discursivas baseadas no senso-comum.

36

Em uma polêmica ou discussão, não contra-argumente o ponto-de-vista do outro, mas ataque-o pessoalmente e tente desestabilizá-lo.

37

Não revele as suas opiniões nem seja autêntico em seus propósitos; sempre deixe uma carta na manga de reserva.

38

Comprometa-se apenas considerando seus próprios interesses e nada mais além disso.

39

Em uma situação de dissensão, aguarde convenientemente que uma opinião ou uma corrente seja majoritária e só então adira a mesma.

40

Lembre-se: você só tem direitos enquanto os outros só tem deveres e obrigações, especialmente em relação a você.

41

Falte a aula e depois reclame que o professor não o ensinou.

42

Vitimize-se, partindo do princípio de que sempre a culpa é dos outros.

43

Somente seja ríspido com pessoas que se encontram em uma situação econômica, cultural ou social abaixo da sua.

44

Jamais responda diretamente ao que lhe for perguntado. Seja evasivo.

45

Quando você sabe de antemão que alguém tornará pública uma opinião com a qual você não concorde, interrompa, grite, seja ironico, procurando desestabilizar seu oponente. Não o deixe externar o que pensa. Se não for possível, pelo menos plante dúvidas e desarmonias.

46

Cultive a violência simbólica ou física. Tente impor-se ante terceiros, mesmo utilizando a força bruta.

47

Os seus desejos sempre são mais importantes; a sua vontade é sempre a mais justa e as suas decisões as mais sábias.

48

Ser flexível demonstra fraqueza e você, como sabemos, é forte, rígido e inabalável em suas convicções.

49

Entre a sensação e o sentido, opte pela primeira; entre o escutar e o falar, prefiro o último e entre a conversa e a imposição, imponha.

50

Seja sempre macho, porque homem não demonstra seus sentimentos e nem suas reais intenções.

51

Seduza como um meio estratégico para obter alguma benesse ou favor.

52

Quando pretensamente beneficiar alguém, assegure-se de que será, de algum modo, recompensado.

53

Não atualize-se profissionalmente e cristalize-se no passado.

54

Só leia quando houver um ganho calculado.

55

Aproveite a lassidão e o comodismo do outro para justificar sua própria lassidão e comodismo.

56

Havendo oportunidade, jogue um grupo inteiro contra um oponente mais fraco.

57

Nunca traga, para alguma atividade, o material necessário, pois assim você poderá perturbar o outro e todo um trabalho, pedindo-lhe algo que você deveria ter trazido e podendo, então, acusar esse outro de insensível e de egoísta.

58

Se necessitar desculpar-se ou não puder evitar algum tipo de perda em uma situação conflituosa, chore. É uma estratégia bastante utlizada e com ótimos efeitos práticos.

59

Use o sentimento de culpa ou a dependência de um terceiro para atingir seus objetivos.

60

Se o outro errou chame-lhe a atenção; se acertou, não o elogie; diga que ele nada mais fez que a sua  obrigação.

61

Force os outros a escutá-lo, de preferência criando uma história interminável.

62

Minimize o mérito alheio brindando-o com uma irritante indiferença.

63

Cultive a dependência dos outros em relação a você.

64

É imprescindível que suas palavras afiadas como punhais tenham a suavidade do algodão.

65

Quando pressionar alguém, mantenha-se calmo, quase carinhoso e meigo e só então enfie a faca o mais profundo que puder.

66

Em assuntos polêmicos, mantenha-se dentro de uma neutralidade vazia. Deixe que os outros se estraçalhem, enquanto você sorri aos ventos.

67

Não ande, corra. Empurre se achar que deve, mesmo que você não saiba onde quer chegar.

68

Una-se a frustrados, mas competentes. Pessoas felizes nem sempre dão atenção a detalhes e estratégias que podem se transformar em armas.

69

Não atire para matar, mas para incapacitar o outro.

70

Acima de tudo respeite seus próprios interesses; todo o mais é supérfluo.

71

Ignore caminhos construídos graças à criatividade dos outros. Afinal, se você tivesse sido consultado, os resultados seriam muito melhores.

72

Quando alguém necessitar da sua decisão ou ajuda, postergue-a para demonstrar seu poder.

73

Delegue funções e obrigações aos outros, mas mantenha-os sob controle para que possa capitalizar em cima do trabalho alheio.

74

Quando alguém tiver argumentos suficientemente fortes, isole essa pessoa, usando a intriga, a maledicência e a desqualificação pessoal pura e simples.

75

Quando você não for capaz de solucionar algo, culpe terceiros, ou a instituição ou, em último caso, o sistema.

76

Animalize seu relacionamento com as pessoas e humanize seu relacionamento com os animais.

77

Converse sempre em voz alta, deixe o celular ligado, arraste classes e cadeiras, maximizando este tipo de comportamento.

78

Fure filas, fume em locais proibidos; se chamarem sua atenção, bestialize e inicie uma discussão.

79

Se alguém tem por hábito fumar, inicie um discurso anti-tabagismo, indicando precisamente os cânceres possíveis.

80

Se alguém tiver o hábito de fumar, anuncie aos quatro ventos os malefícios que acorrem aos fumantes passivos.

81

Inicie, sustente e polemize sobre assuntos irrelevantes ao contexto do que está sendo discutido.

82

Diga que seu trabalho é insuportável, que seus colegas são intoleráveis e, de acordo com a situação, diga exatamente o contrário.

83

Não estabeleça prioridades nem perca seu tempo planejando sua vida, prefira interferir nos projetos pessoais alheios.

84

Viva pautado pelo relógio, pelas conveniências sociais e por seus interesses profissionais.

85

Inveja. É indispensável nutrí-la constantemente.

86

Seja possessivo e ciumento em relação ao seu amor; liberal e condescendente em relação ao amor dos outros.

87

Quando o assunto não lhe interessar, se faça de desentendido; ocorrendo o contrário, seja atento o máximo que puder.

88

Use o cinismo e designe-o de crítica construtiva, a falta de respeito como se fosse um argumento válido e a ignorância como se fosse sabedoria.

89

No trato com os outros, tenha uma atitude displiscente e dispersiva.

90

Mesmo que você tenha entendido algo, faça com que seu interlocutor repita o máximo de vezes a mesma coisa, levando-o à irritação.

91

Endeuse a futilidade.

92

Em uma aula, palestra ou experiência, interrompa perguntando coisas absolutamente irrelevantes como “que horas são”, “que dia é hoje”, etc.

93

Antes mesmo de ouvir, diga que não entendeu e que você não tem a mínima disposição para fazer o que lhe for pedido.

94

Seja indulgente com seus erros e cruel com os erros alheios.

95

Se atingir uma meta demanda muito esforço, convença alguém a fazer o trabalho, mas não esqueça de colher os louros.

96

A solução dos seus problemas deve ser buscada por todos, mas as questões dos outros são de plena responsabilidade desses outros.

97

Defenda a exclusividade do seu conhecimento como se fosse a última bastilha civilizatória resistente contra os invasores

98

Transforme o seu trabalho em uma extensão da sua vida pessoal.

99

Suporte seu trabalho e odeie seus colegas.

100

Seja rancoroso. Espere anos por uma vingança pessoal. Alimente seu ódio, de preferência cotidianamente.

101

Marginalize ainda mais o marginal, discrimine mais ainda o discriminado e rotule exponencialmente o estigmatizado.

102

Seja objetivo: sentimentos são coisas de tolos.

103

Se algum desafeto estiver fragilizado, esse é o momento de atacá-lo com toda sua força.

104

Mulheres são objeto de uso e de consumo (nem sempre exclusivos).

105

Mostre-se atencioso, apaixonado e delicado até conseguir ir para a cama com a mulher desejada, depois despreze-a.

106

Tenha um dossiê da vida pessoal de seus desafetos.

107

Não seja piedoso com aqueles que não podem ameaçá-lo.

108

Aproxime-se de alguém para colher informações que você possa utilizar contra terceiros que possam importuná-lo.

109

Seja totalmente individualista na prática mas solidário no discurso.

110

Resista a mudanças que podem mudar seu poder de controle.

111

Seja democrático no discurso e autocrático na suas ações.

112

Dê pequenos presentes – baratos, de preferência – a seus aliados, reforçando seus laços de confiança sem gastar muito.

113

Use mulheres para servir de bengala à sua autoimagem.

114

A melhor tecnologia continua sendo a exploração do trabalho alheio.

115

Confunda seus desafetos tratando-os bem para agir quando eles, finalmente, baixarem a guarda.

116

Aproveite da carência de outro para se fartar.

117

Crie artificialmente a imagem de que é doente ou tem algum tipo de problema emocional: é um passe livre para você exercer, sem peias, a sua estupidez.

118

Retalie, mas, dependendo da situação, nunca o faça diretamente, use outros para isso.

119

Veja o futuro através de um retrovisor.

120

Fale com absoluta convicção e certeza a respeito de assuntos que você desconhece por completo.

121

Seja redundante: discurse no sentido de sustentar o que já foi majoritariamente decidido.

122

Faça com que outros percam tempo e energia com irrelevâncias.

123

Discuta e muito a respeito do que já está provado e comprovado.

124

Em uma discussão particularmente delicada havida em um grupo, faça o possível para reacender divergências, expondo-as de modo reducionista.

125

Jamais respeite inscrições para falar em alguma reunião: simplesmente atropele o outro.

126

Em alguma reunião, retenha o máximo possível a palavra, dando-se ares de ofendido quando outro estiver falando.

127

Não esqueça: as suas grosserias são chamadas de espontaneidade.

128

Consuma acima do que pode e depois reclame dos juros do cartão de crédito, do governo, da sua vida difícil, etc.

129

Converse sobre a sua vida íntima como se fosse um tema obrigatório ao grande grupo.

130

Lamente-se constantemente.

131

Trate seu trabalho como se fosse um bico e não se esqueça: sempre reclame de outros que trabalham menos ou pior que você e ganham muito mais.

132

Entre investir e resolver um problema, procure gastar menos e criar paliativos, junto com serviços de manutenção.

133

Viva o ontem e projete o hoje.

134

Siga o planejamento, mesmo que desconectado com a realidade.

135

Faça grandes planejamentos, especialmente se não tiver meios e tempo de executá-los.

136

Viva com um homem por conveniêncie social ou material e apregoe contra a prostituição.

137

Comporte-se de modo lascivo mas use um discurso moralizante.

138

Fique sempre além do seu horário no trabalho, mesmo que não haja nada urgente a resolver: isso fará com que os outros pensem em como você é necessário e em como você vive sobrecarregado.

139

Negligencie a sua família em relação ao seu trabalho.

140

Use sempre números menores de roupa que o seu, para se sentir atraente e sensual.

141

Banque o gentil e prestativo para, após, poder cobrar com juros o que fez por pretenso desinteresse e solidariedade.

142

Empenhe-se em ter discursos moralistas, nos quais, obviamente não acredita.

143

Para demonstrar que gostou de uma refeição, arrote.

144

Ande sempre com uma expressão estressada no trabalho.

145

Viva repetindo que não sabe o que fará na aposentadoria, porque não saber viver sem estar trabalhando.

146

No trânsito, buzine sempre e ande em alta velocidade.

147

Seja inflexível.

148

Mostre-se adulto em relação às crianças e infantilizado em relação aos adultos.

149

Case com o relógio acima de todas as coisas.

150

Transforme uma pergunta simples em um interrogatório.

151

Recrimine alguém em público, com a voz mais alta e clara que conseguir.

152

Comprometa-se com terceiros a fazer algo e, ato contínuo, esqueça o assunto.

153

No sexo, faça teatro e seja artificial. Leve o celular ligado para a cama.

154

Esclareça o que já foi esclarecido, explique o que todos já sabem e repita o informado.

155

Em ambientes formais, seja informal; em cenários informais, vá de gravata ou de tailler.

156

Introjete nos outros o medo, a insegurança e o ressentimento.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s